Avaliação Neuropsicológica


É um exame que tem como objetivo mensurar e descrever o perfil de desempenho cognitivo, avaliando suspeitas de alterações cognitivas que podem ser decorrentes de desordens neurológicas e outros transtornos.

A avaliação neuropsicológica tem como intuito avaliar processos cognitivos dos seres humanos e pode ser utilizada com diversos objetivos, seja na tentativa de reconhecer uma questão em específico ou para avaliar a condição neuropsicológica de maneira geral.


Consiste em um processo de coleta de informações que vão se transformar em dados, que junto com o entendimento teórico e conhecimento técnico do profissional, fornece informações valiosas acerca do estado do paciente.

Por meio de entrevistas com pacientes e familiares, testes, avaliações, observação clínica e outros processos, é feito um relatório do perfil neuropsicológico do paciente. Com os resultados das avaliações, o médico ou outro profissional da saúde especializado irá recomendar o tratamento adequado, seja com medicação, terapia, reabilitação etc.

Por isso, é fundamental que seja aplicada por profissionais que tenham domínio na área de Neuropsicologia e seus desdobramentos.


A avaliação neuropsicológica é um processo complexo e pode ser aplicada de diversas formas. O que irá definir isso será o propósito, a faixa etária, o perfil do paciente e outros fatores.

Depois disso, o primeiro passo será a anamnese. Conhecer o paciente, histórico de saúde e rotina são importantes para tornar o resultado mais verossímil.

Isso é feito a partir de entrevistas com o próprio paciente, familiares e profissionais, que já o acompanharam em outro momento.

Depois da entrevista inicial, serão aplicados uma bateria de avaliação neuropsicológica, composta por testes e técnicas, para checar as condições neuropsicológicas e funções executivas do paciente.

Esses testes são capazes de armazenar tanto informações quantitativas, como qualitativas.

A partir desses dados coletados, se torna mais fácil detectar a origem, causa e desenvolvimento de alguma normalidade.


A avaliação neuropsicológica é especialmente útil no diagnóstico de inúmeros distúrbios. Por isso, as situações mais indicadas são aquelas que possuem suspeitas de danos cognitivos.

Pode ser aplicado em:

  • Transtorno de Déficit de Atenção – TDA;

  • Hiperatividade;

  • Dislexia;

  • Doenças neurodegenerativas;

  • Transtorno Global do Desenvolvimento;

  • Atraso no desenvolvimento cognitivo;

  • Traumas Crânio Encefálicos (TCE);

  • Acidente Vascular Cerebral (AVC);

  • Epilepsias

  • Depressão e outras.


Por analisar o funcionamento cognitivo, a avaliação neuropsicológica conclui a existência ou não de distúrbios, tais como:

· dificuldade de atenção e concentração;

· perda de memória;

· déficit de raciocínio;

· demências;

· transtornos de aprendizagem;

· doença de Parkinson e Alzheimer.


Alguns sinais podem indicar a necessidade de realizar o exame. Veja os principais:

· Perda de memória;

· Déficit das funções executivas, como planejamento e organização;

· Dificuldade para se concentrar;

· Déficit de atenção;

· Déficit de raciocínio;

· Dificuldades de aprendizagem;

· Dificuldade com resolução de problemas;

· Déficit das habilidades perceptivas e motoras.


Quando é indicado?

A Avaliação Neuropsicológica é indicada quando há necessidade de:

1. Detectar uma desordem neurológica (por exemplo: lesões por anoxia, quadros de demência, acidente vascular cerebral, traumatismo crânio encefálico etc.).

2. Estabelecer diagnóstico diferencial entre uma síndrome psicológica e uma síndrome neurológica.

3. Monitorar a recuperação cognitiva ou evolução de uma desordem neurológica.

4. Avaliar o funcionamento cognitivo de uma pessoa afim de propor um trabalho de reabilitação ou o desenvolvimento de estratégias para lidar com as dificuldades vividas por ela.

5. Orientar os familiares do paciente sobre a melhor forma de ajudá-lo.

6. Responder questões acerca das possibilidades do paciente dirigir veículo automotor, cuidar do seu dinheiro, retornar ao trabalho ou à escola, viver independentemente, tipo de terapia mais indicada etc.


O que é avaliado?

O profissional avalia os seguintes pontos:

· Atenção, memória e aprendizagem.

· Planejamento e organização (funções executivas).

· Habilidades perceptivas e motoras.

· Habilidades visuoespaciais.

· Habilidades acadêmicas.

· Resolução de problemas.

· Capacidade de raciocínio e julgamento.

· Linguagem.

· Humor e comportamento.


De acordo com o Conselho Federal de Psicologia (CFP), apenas profissionais com formação em Psicologia podem realizar psicodiagnósticos e utilizar os testes normatizados e aprovados no SATEPSI – Sistema de Avaliação de Testes Psicológicos (salvo exceção do teste Neupsilim).

Apesar da neuropsicologia ser uma área multidisciplinar, somente neuropsicólogos com formação em Psicologia poderão lançar mão da utilização dos instrumentos aprovados pelo Conselho Federal de Psicologia para avaliação neuropsicológica, com respaldo técnico e ferramentas que são necessárias para a melhor compreensão dos resultados.

A avaliação é uma forma completa de diagnóstico, que irá abarcar não somente testes, como também as já citadas entrevistas. Por isso, para chegar ao resultado é necessário que o paciente seja submetido a uma bateria de exames.


A Estimulação Cognitiva é entendida como uma prática ampla que engloba várias formas de exposição do indivíduo a diferentes atividades e aspectos ambientais, tendo como resultado a manutenção ou o aprimoramento de seu desempenho cognitivo. Em casos nos quais sujeitos já nascem com algum tipo de comprometimento cerebral, algumas funções cognitivas podem não ser desenvolvidas dentro do que de espera, levando em consideração os parâmetros do desenvolvimento humano, como aprendizagem, atenção ou linguagem, que já podem ser disfuncionais desde os primeiros anos de vida. Há, também, casos nos quais não existe comprometimento orgânico ou psicopatológico, mas falta estimulação de determinadas áreas do cérebro em alguns contextos, como o contexto social, escolar e, principalmente, familiar (por exemplo, cuidadores que não estimulam ou não ajudam nas tarefas de casa). Tanto no caso do comprometimento cerebral quanto no caso do sujeito que não é estimulado adequadamente, cabe o trabalho da Estimulação Cognitiva, a fim de exercitar as funções corticais superiores necessárias. Com isso, o sujeito tem a possibilidade de manter saudáveis suas funções cognitivas, de modo que sua realidade não seja prejudicada por causa de declínios cognitivos. Portanto, o processo cabe em casos nos quais determinada função ou área do cérebro precisa ser mais exercitada e estimulada.


A Reabilitação Cognitiva oferece auxílio ou assistência na recuperação cognitiva às pessoas que apresentam disfunções neurocognitivas decorrentes de fatores como acidentes, AVC, demências e abuso de álcool e outras drogas, ou seja, fatores que podem comprometer uma função que antes não estava comprometida. Se trata de uma prática mediadora para a reorganização cerebral, visto que colabora para a reorganização das sinapses neuronais e dos circuitos e vias que se encontram prejudicados e disfuncionais após a lesão. Vale destacar que essa reorganização é um processo lento, mas possibilita que o sujeito lesionado possa reaprender funções cognitivas perdidas em função da lesão, então pequenos progressos devem ser valorizados. É importante salientar que o processo fica mais difícil a depender da gravidade da lesão. Imagine que um sujeito de 30 anos, sem comprometimento cerebral ao longo do seu desenvolvimento, sem lesões orgânicas, sem a presença de algum tipo de psicopatologia e estimulado adequadamente ao longo da sua vida tenha sofrido um traumatismo craniano, e que este traumatismo tenha sido em áreas frontais do cérebro, responsáveis, de modo geral, pelo controle inibitório, pela atenção, produção da fala e pelas funções executivas (funções cognitivas mais complexas). Após o processo de Avaliação Neuropsicológica, o profissional consegue identificar quais funções foram prejudicadas, encaminhando o paciente para tratamento de Reabilitação Cognitiva. Supondo que as funções prejudicadas tenham sido a atenção e o controle inibitório, o trabalho do Neuropsicólogo com esta prática se voltará para a aplicação de atividades que estimulem estas funções, principalmente, e funções com as quais elas se relacionam.


As práticas da Neuropsicologia possibilitam a compreensão das condições neuropsicológicas de um indivíduo, que ocorre por meio de testagem neuropsicológica, estimulação e reabilitação de funções cognitivas que estejam apresentando caráter disfuncional. O encaminhamento de um sujeito para o profissional da Neuropsicologia pode advir tanto de outros profissionais como da própria família. Sua prática é cabível tanto para casos de lesões orgânicas quanto para casos de psicopatologias, sejam diagnosticadas ou suspeitas.


Visto a variedade de processos que podem exigir uma avaliação neuropsicológica, e a exigência de uma formação qualificada e capacitação técnica, a avaliação completa de um paciente pode durar de 7 a 10 sessões, o preço pode variar de acordo com cada caso específico, das necessidades e do objetivo com a avaliação, e vai depender também de acordo com cada região do país em que for realizada. O valor de uma avaliação completa pode variar de R$ 3.000,00 a R$ 5.000,00 de acordo com propósito do paciente ou de seus familiares.


Em suma, é fundamental consultar a profissionais da área para a realização de um orçamento de avaliação psicológica, assim como verificar o método utilizado pelo psicólogo(a), quantas sessões serão necessárias, quais testes e instrumentos serão utilizados, de modo geral o valor obedece a demanda que o paciente necessita.


Referências

  • https://blog.ipog.edu.br/saude/para-que-serve-a-avaliacao-neuropsicologica/

  • https://www.einstein.br/estrutura/centro-reabilitacao/especialidades/psicologia/avaliacao-neuropsicologica

  • https://ilhadoconhecimento.com.br/neuropsicologia-praticas-e-beneficios/

  • https://www.psicologiagoiania.com.br/2020/02/qual-o-preco-de-uma-avaliacao.html

  • https://www.funcionalita.com.br/o-que-e-avaliacao-neuropsicologica-quando-necessaria

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo