Foi desligado não por falta de competência, mas por intolerância ideológica e política.

Atualizado: 21 de jun. de 2020

Sofreu assédio moral antes de ser desligado e foi acusado de uso de entorpecente na frente dos outros funcionários simplesmente por não concordar nas redes sociais das ideias políticas hoje existente, pois quem não concorda com o atual presidente é de esquerda, e esquerdistas fazem uso de maconha (na visão torpe do dono da empresa).

Foi desligado pela intolerância ideológica / "filosófica", simplesmente por não compartilhar da visão torpe de um suposto "filósofo" / blogueiro que hoje é idolatrado por disseminar visão que não são baseadas em conceitos científicos.

Foi desligado por ter uma visão diferente de mundo.

Trabalhei como gerente de RH e sempre falei que nenhum funcionário tem e deve concordar com as ideias que fogem à visão, missão e valores da empresa. Fora isto ele tem sua própria opinião, e isso é muito bom, pois opiniões diferentes apresentam caminhos diferentes, o que não pode existir é intolerância. Desligar nunca é o melhor caminho, reter talentos sim é a melhor opção na redução de custos da empresa. Empresários entendam: seus funcionários não são seus amigos pessoais e se forem você precisa ter maturidade suficiente para separar este tipo de relacionamento. Se este tipo de envolvimento existe de forma intensa na relação empregador e empregado, você empregador deveria entender o nível de carência afetiva que existe em sua vida e trabalhá-la em terapia. Você pode criar um ambiente de trabalho amigável, acolhedor e feliz sem ser íntimo dos seus funcionários. Suas ideias políticas, religiosas, futebolísticas e filosóficas não devem poluir o ambiente de trabalho, elas pertencem somente a você. Seus clientes e funcionários não precisam seguir suas ideologias.


Triste por ter presenciado isto, triste por ter acontecido com alguém que amo.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo