A IMPORTÂNCIA DOS ÁRBITROS NA FORMAÇÃO DOS ATLETAS MINI, MIRIM, INFANTIL, CADETE E JUVENIL.

Atualizado: 22 de jun. de 2020

Uma das peças fundamentais de uma competição esportiva é o árbitro. A arbitragem tem que ser segura, eficiente e principalmente imparcial, pois neste ponto reside a ética, extremamente necessária. Esse profissional tem que ser rápido, pois um erro em sua avaliação (ou decisão) será fundamental para a boa realização de uma partida. Mas além de supervisionar, julgar e aplicar, o árbitro tem que ser um professor em quadra. Sua função também é advertir e orientar, principalmente se o atleta ainda estiver em período escolar. Não é uma vida fácil ser arbitro, principalmente um arbitro de handebol. Mas se faz necessário do conhecimento, pleno, das regras, como também de um conhecimento na conduta pedagógica como as fases iniciais dos atletas.

Os árbitros tem que atuar de forma pedagógica. Pois, a importância de um árbitro vai muito além de se aplicar regras. O árbitro tem que ter um olhar educacional para auxiliar, por exemplo, na dimensão emotiva de uma criança. Não basta levantar a mão, o cartão amarelo ou vermelho, marcando uma falta ou expulsão, precisa orientar e explicar para que a criança entenda o que ocorreu. Antes de aplicar penalidades ou advertir, o árbitro precisa pensar antes na formação do atleta. Árbitro tem que perceber a importância dessa atividade para a criança, para poder mediar de uma forma que colabore com o desenvolvimento da criança e a manutenção dela no esporte.

A arbitragem no esporte, nas categorias menores, deve ser mais educativa. A arbitragem é direcionada totalmente a educação, existe sim a competição mas o arbitro deve ser mais flexível. Já entre adultos, onde o objetivo e somente competição, o arbitro deve fazer valer todas as regras.

Os erros na condução do jogo e até no processo educacional dos atletas das categorias inicias, vem da falta de segurança em determinados locais e a falta de preparo de outros profissionais envolvidos como técnicos, professores, atletas e pais.

Em geral os árbitros, não compreendem a sua importância, que vai muito além de apenas aplicar regras. A maioria dos árbitros não tem formação para desempenhar de maneira plena as suas funções ou os que tem formação não tem conhecimento do processo pedagógico e da psicologia do desenvolvimento. O esporte é uma grande ferramenta para trabalhar no desenvolvimento de das crianças, ajudando na formação de atletas e indivíduos capazes emocionalmente.

As regras devem ser claras para todos os indivíduos envolvidos na competição, principalmente para os pais. Sendo assim cabe aos técnicos e ou professores realizar reuniões com os pais e explicar as regras do esporte que o filho esta envolvido, facilitando o entendimento e participação dos pais durante os jogos e competições.

O esporte ajuda as crianças a internalizar regras e limites, promovendo a formação de um cidadão empático, cooperativo e emocionalmente forte para lidar com as frustrações.

(Gilsom Maia - Psicólogo do esporte e clínico)

5 visualizações0 comentário