Quando o emocional interfere no corpo.



É preciso aprender a conviver com as pressões, as angústias, as perdas que nos cercam para termos uma boa qualidade de vida.

O equilíbrio só é restabelecido quando a medicina e a psicologia trabalham em conjunto. Não adianta apenas tomar medicamentos para combater os sintomas se as emoções mal compreendidas podem ser a causa principal do desequilíbrio entre corpo e mente que se manifestou por meio das doenças.

Embora o desequilíbrio emocional possa atingir o organismo como um todo, cada pessoa parece ser mais sensível a um certo tipo de doença psicossomática.

Como um sistema de defesa, um órgão (ou sistema) sofre o impacto causado pela depressão e ansiedade que, em resumo, são os resultados finais de um processo de stress contínuo. A partir da instalação desse quadro, podem surgir as manifestações psicossomáticas,

As síndromes e os sintomas psicossomáticos mais frequentes são os relacionados com o aparelho digestivo (com manifestações de gastrites, úlceras pépticas, colites), respiratório (bronquites, rinites e asmas), os sistemas vasculares (infartos, hipertensão e acidentes vasculares), locomotor (artrites), endócrino (síndrome metabólica, diabetes tipo 2, obesidade) e cutâneo (dermatites, psoríase e alopecia).

Entretanto, se esse estado de tensão se tornar contínuo, corremos o risco de perder a capacidade de voltar ao equilíbrio emocional e, a partir daí, ter algum tipo de manifestação psicossomática.

Vale lembrar também que emoções negativas podem provocar uma queda do sistema imunológico. E quando nossas defesas despencam, tudo pode acontecer, desde uma gripe atrás da outra ou até mesmo o surgimento de tumores.

Se o stress ocasionado por uma ocorrência mais agressiva mexer na gangorra emocional, o organismo tentará adaptar-se à nova situação e se defender da irritação lançando mão de hormônios, como a adrenalina, até que o suposto perigo passe.

O fato de uma doença ter origem emocional, na maioria das vezes, não quer dizer que ela ou os sintomas que a acompanham não existam. Ao contrário, o corpo realmente sofre e a dor é real.

Sintomas como pele que descama ou pressão que sobe fazem parte de um sistema de reações de defesa do organismo frente ao stress causado por acontecimentos como a perda de um familiar ou o fim do casamento.

“Quando a mente se cala, o corpo fala”.

A doença psicossomática é um reflexo de problemas emocionais com os quais não estamos conseguindo compreender e aceitar direito.

Muitos desses sintomas são até mais difíceis de serem controlados com medicamentos e outros recursos da medicina, justamente porque têm base psíquica.

Algumas doenças, podem ser de fundo emocional e psicossomáticas. Até porque o ser humano não é apenas um organismo vivo, mas um conjunto de fatores físicos, emocionais, culturais, sociais e ambientais que atuam o tempo todo sobre o sujeito (indivíduo).

E para poder saber lidar com esta situação, a terapia é uma excelente opção.

Quer saber mais sobre este assunto?

Entre em contato.

Gilsom Maia

+55 (11) 9 9240-3899

Psicólogo clínico

Psicólogo do esporte.

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo