top of page
  • Foto do escritorGilsom Castro Maia

VFC BIOFEEDBACK


O QUE É VFC BIOFEEDBACK

VFC, ou Variabilidade da Frequência Cardíaca, é uma medida que descreve a variação dos intervalos de tempo entre batimentos cardíacos. Ela reflete a capacidade do sistema nervoso autônomo em regular o coração, sendo influenciada tanto pelo sistema nervoso simpático (responsável por acelerar o coração) quanto pelo sistema nervoso parassimpático (responsável por desacelerar o coração).


O biofeedback é uma técnica terapêutica que permite às pessoas aprenderem a controlar funções fisiológicas do corpo que normalmente não são conscientemente controladas, como a frequência cardíaca, por meio do feedback em tempo real fornecido por dispositivos de monitoramento.


Assim, o VFC biofeedback combina esses dois conceitos, utilizando dispositivos que monitoram a variabilidade da frequência cardíaca e fornecem feedback em tempo real para ajudar as pessoas a aprenderem a regular suas respostas fisiológicas, geralmente para promover relaxamento, redução do estresse e melhoria da saúde mental e física. Este método é frequentemente utilizado em contextos clínicos, de saúde mental, esportivos e de bem-estar, como uma ferramenta de auto-regulação e controle fisiológico.


Ao praticar o VFC biofeedback, os indivíduos aprendem a regular suas respostas fisiológicas ao estresse e às emoções negativas. Eles são treinados para reconhecer os sinais de estresse em seus corpos (marcadores fisiológicos) e, em seguida, usar técnicas específicas para reduzir essas respostas, como a respiração profunda, relaxamento muscular progressivo ou visualização positiva.


Certos padrões de Respiração Nasal Diafragmática (RND) têm um forte efeito na Variabilidade da Frequência Cardíaca (VFC), além do seu estado mental.

Durante o Treinamento de Variabilidade da Frequência Cardíaca, dentro da sua rotina de treinamento esportivo ou atividade diária, você aumenta o índice da VFC para ter saúde física e mental, aprendendo a regular seu próprio corpo durante situações de estresse, como uma competição esportiva ou outras atividades e situações cotidianas como resoluçaõ de conflitos, relacionamentos, interações sociais, vida acadêmica, o benefício certamente irá além do esporte.


BENEFÍCIOS DO VFC BIOFEEDBACK

Além dos benefícios fisiológicos já mencionados, o VFC biofeedback também pode oferecer uma variedade de benefícios em outras áreas:

  1. Saúde Mental: O VFC biofeedback tem sido associado a melhorias na saúde mental, incluindo redução dos sintomas de ansiedade, depressão e estresse. Ao aprender a regular a resposta do sistema nervoso autônomo, os praticantes podem experimentar uma sensação geral de bem-estar emocional e mental.

  2. Desempenho Cognitivo: Estudos sugerem que o treinamento de biofeedback da VFC pode melhorar o desempenho cognitivo, incluindo a função executiva, a atenção e a memória. Isso pode ser especialmente útil em situações que exigem foco e clareza mental, como ambiente acadêmico ou profissional.

  3. Controle do Estresse ou Gestão do Estresse: O VFC biofeedback pode ensinar técnicas de relaxamento que podem ser aplicadas em situações estressantes, promovendo uma resposta mais equilibrada e saudável ao estresse. Ao aprender a controlar e regular a resposta do sistema nervoso autônomo, ou seja, a resposta do corpo ao estresse, as pessoas podem lidar melhor e de maneira mais eficaz com situações desafiadoras e estressantes. Elas são capazes de manter a calma e a clareza mental mesmo diante de adversidades, o que contribui para uma maior resiliência emocional.

  4. Melhoria do Sono: O treinamento em biofeedback da VFC pode contribuir para melhorar a qualidade do sono. Ao aprender a induzir estados de relaxamento e reduzir a atividade do sistema nervoso simpático, os praticantes podem experimentar um sono mais profundo e reparador.

  5. Regulação Emocional: O VFC biofeedback pode ajudar na regulação emocional, permitindo que as pessoas identifiquem e modifiquem padrões de resposta emocional disfuncionais. Isso pode ser especialmente útil para aqueles que lutam com regulação emocional, como pessoas com transtornos de humor ou trauma emocional.

  6. Promoção da Resiliência e Adaptação as Mudanças: Ao aprender a regular suas respostas fisiológicas e emocionais, as pessoas podem desenvolver maior resiliência ao enfrentar desafios e adversidades. O VFC biofeedback pode fortalecer a capacidade de lidar com situações estressantes e promover uma sensação de controle sobre a própria saúde e bem-estar. A resiliência emocional também envolve a capacidade de se adaptar a mudanças e transições na vida. O VFC biofeedback ajuda os indivíduos a desenvolverem flexibilidade emocional, permitindo-lhes ajustar suas respostas de acordo com as circunstâncias.

  7. Redução dos Níveis de Cortisol: Cortisol é um hormônio associado ao estresse. Quando uma pessoa está em situação de estresse, o corpo libera cortisol como parte da resposta de luta ou fuga, preparando-o para lidar com a situação. No entanto, níveis elevados e crônicos de cortisol podem ter efeitos adversos à saúde, como aumento do risco de doenças cardiovasculares, supressão do sistema imunológico, ganho de peso e distúrbios do sono. O VFC biofeedback pode ajudar a modular essa resposta ao estresse, promovendo uma redução nos níveis de cortisol. Ao ensinar técnicas de relaxamento e regulação do sistema nervoso autônomo, o biofeedback pode ajudar as pessoas a diminuir a atividade do sistema nervoso simpático (responsável pela resposta de luta ou fuga) e aumentar a atividade do sistema nervoso parassimpático (associado ao relaxamento e à recuperação). Estudos têm demonstrado que a prática regular de biofeedback da VFC está associada a uma diminuição nos níveis de cortisol em indivíduos que sofrem de estresse crônico, ansiedade ou distúrbios relacionados. Isso sugere que o VFC biofeedback não apenas promove o relaxamento imediato, mas também pode ter efeitos duradouros na regulação do estresse e na saúde hormonal. Portanto, a redução do cortisol é considerada um benefício importante do VFC biofeedback, contribuindo para uma resposta mais saudável ao estresse e para a promoção do bem-estar geral.

  8. Recuperação de Traumas: Para aqueles que passaram por traumas emocionais, o VFC biofeedback pode auxiliar na regulação das respostas emocionais associadas a essas experiências. Isso pode facilitar o processo de recuperação e reduzir os sintomas de transtorno de estresse pós-traumático (TEPT).

  9. Autoconsciência Emocional: O treinamento em biofeedback da VFC também promove a autoconsciência emocional, permitindo que as pessoas reconheçam e compreendam melhor suas próprias emoções. Isso é fundamental para o desenvolvimento da resiliência emocional, pois ajuda os indivíduos a lidarem com seus sentimentos de forma construtiva.

  10. Regulação da Pressão Arterial: O biofeedback da VFC tem sido associado à redução da pressão arterial, tanto em pessoas com hipertensão quanto em indivíduos saudáveis. Isso ocorre porque o treinamento em VFC biofeedback promove o equilíbrio entre o sistema nervoso simpático e parassimpático, o que pode levar a uma diminuição da resistência vascular e, consequentemente, da pressão arterial.

  11. Redução do Risco de Doenças Cardiovasculares: A prática regular de biofeedback da VFC pode ajudar a reduzir o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como doença arterial coronariana, acidente vascular cerebral (AVC) e arritmias cardíacas. A melhoria na variabilidade da frequência cardíaca está associada a um menor risco de eventos cardiovasculares adversos. O VFC biofeedback também pode ajudar a promover a saúde do coração, fortalecendo o músculo cardíaco e melhorando a eficiência do sistema cardiovascular. A regulação adequada da frequência cardíaca e a resposta adaptativa ao estresse contribuem para um coração mais saudável e resiliente.

  12. Redução da Inflamação: A inflamação crônica está intimamente ligada ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares. O biofeedback da VFC pode ajudar a reduzir a inflamação ao modular a resposta do sistema nervoso autônomo, o que pode ter efeitos benéficos na saúde cardiovascular a longo prazo.

  13. Melhoria da Variabilidade da Frequência Cardíaca (VFC): A prática regular de biofeedback da VFC pode aumentar a variabilidade da frequência cardíaca, o que é considerado um indicador de saúde cardiovascular. Uma maior VFC está associada a uma função cardíaca mais adaptativa e resiliente, bem como a uma menor mortalidade por doenças cardiovasculares.

  14. Aumento da Flexibilidade Cognitiva: A flexibilidade cognitiva refere-se à capacidade de adaptar-se a novas situações, alternar entre diferentes tarefas e abordar problemas de várias perspectivas. O treinamento em biofeedback da VFC pode promover a flexibilidade cognitiva, facilitando a adaptação a mudanças e a resolução de problemas de maneira mais eficaz.

  15. Indução do Relaxamento: O VFC biofeedback ensina técnicas de relaxamento que podem ser aplicadas antes de dormir para ajudar a induzir um estado de relaxamento físico e mental. Isso inclui técnicas de respiração profunda, relaxamento muscular progressivo e visualização guiada, que podem preparar o corpo e a mente para o sono. O treinamento em biofeedback da VFC pode ajudar a estabilizar o ritmo cardíaco durante o sono, o que é importante para alcançar e manter um sono profundo e restaurador. Uma variabilidade saudável da frequência cardíaca durante o sono está associada a uma melhor qualidade do sono.

  16. Promoção do Ciclo de Sono: O VFC biofeedback pode ajudar a regular o ciclo de sono-vigília, facilitando a transição entre os estágios do sono. Isso pode resultar em uma distribuição mais equilibrada dos estágios do sono, incluindo sono REM (Rapid Eye Movement) e sono de ondas lentas, que são essenciais para a restauração física e mental.

  17. Redução dos Distúrbios do Sono: Para aqueles que sofrem de distúrbios do sono, como insônia ou apneia do sono, o VFC biofeedback pode ser uma abordagem complementar para melhorar a qualidade do sono. Ao promover o relaxamento e a regulação fisiológica, o biofeedback pode ajudar a reduzir os sintomas desses distúrbios e promover um sono mais repousante.

  18. Percepção das Sensações Corporais: Durante as sessões de VFC biofeedback, os indivíduos aprendem a prestar atenção às sensações físicas do corpo, como batimentos cardíacos, padrões de respiração e tensão muscular. Isso ajuda a desenvolver uma maior consciência das respostas fisiológicas do corpo ao estresse, à ansiedade e a outros estímulos ambientais.

  19. Identificação de Tensões e Desconfortos: Ao se concentrarem nas sensações corporais durante as práticas de biofeedback, as pessoas podem identificar áreas de tensão muscular e desconforto físico que podem estar contribuindo para o estresse e a ansiedade. Isso permite que elas tomem medidas para relaxar e aliviar essas tensões, promovendo uma sensação geral de bem-estar.

  20. Conexão Mente-Corpo: O VFC biofeedback facilita a conexão mente-corpo, ajudando as pessoas a reconhecerem como suas emoções, pensamentos e estados mentais podem influenciar diretamente as sensações físicas do corpo. Esse entendimento pode promover uma maior autoconsciência e autocuidado. As pessoas a aprenderem a regular suas próprias respostas fisiológicas, como frequência cardíaca e padrões de respiração, em tempo real. Isso envolve o desenvolvimento de habilidades de autorregulação que podem ser aplicadas não apenas durante as sessões de biofeedback, mas também em situações do dia a dia para lidar com o estresse e a ansiedade.

  21. Promoção do Bem-Estar Geral: Ao aumentar a consciência corporal, o VFC biofeedback pode contribuir para o bem-estar geral das pessoas, permitindo que elas reconheçam e respondam às necessidades físicas e emocionais do corpo de maneira mais eficaz. Isso pode levar a uma maior sensação de equilíbrio e harmonia entre mente e corpo.

  22. Foco no Autocuidado: O VFC biofeedback promove o autocuidado ao ensinar técnicas de relaxamento e autorregulação que podem ser incorporadas à rotina diária das pessoas. Isso encoraja uma atitude proativa em relação à saúde e ao bem-estar pessoal.

MELHORIA DAS FUNÇÕES COGNITIVAS

  1. Melhoria da Função Executiva: A função executiva refere-se a um conjunto de habilidades cognitivas que incluem planejamento, organização, foco e controle inibitório. Estudos mostraram que o treinamento de biofeedback da VFC pode melhorar a função executiva, resultando em melhorias na capacidade de concentração, tomada de decisões e resolução de problemas.

  2. Aumento da Atenção Sustentada: A atenção sustentada é a capacidade de manter o foco em uma tarefa por um período prolongado de tempo. O VFC biofeedback tem sido associado a uma melhoria na atenção sustentada, o que pode beneficiar a produtividade e o desempenho em atividades que exigem concentração contínua.

  3. Melhoria da Memória: Estudos sugerem que o biofeedback da VFC pode ter efeitos positivos na memória, tanto em curto prazo quanto em longo prazo. A regulação da resposta do sistema nervoso autônomo pode facilitar a consolidação da memória e a recuperação de informações armazenadas na memória.

  4. Redução do Estresse e da Ansiedade: O VFC biofeedback pode ajudar a reduzir os níveis de estresse e ansiedade, que são fatores que podem prejudicar o desempenho cognitivo. Quando os níveis de estresse são reduzidos, os indivíduos podem experimentar uma melhoria na clareza mental, foco e capacidade de processar informações de forma eficiente.

VFC biofeedback pode levar a um aumento significativo no desempenho cognitivo, incluindo melhorias na função executiva, atenção sustentada, memória, flexibilidade cognitiva e redução do estresse e da ansiedade. Esses benefícios podem ter um impacto positivo na vida diária, acadêmica e profissional das pessoas, contribuindo para uma melhor qualidade de vida e realização pessoal.



Esses são alguns dos benefícios do VFC biofeedback, que vão além dos aspectos puramente fisiológicos, abrangendo uma variedade de áreas que contribuem para o bem-estar geral e a qualidade de vida.


TIPOS DE TREINAMENTOS, TÉCNICAS E EQUIPAMENTOS QUE MEDEM A VFC BIOFFEDBACK

  1. Treinamento de Respiração: Uma das técnicas mais comuns de biofeedback da VFC envolve o treinamento da respiração. Isso geralmente envolve respirações controladas e ritmadas, como a respiração abdominal profunda, respiração diafragmática ou respiração coerente. O objetivo é sincronizar a respiração com a frequência cardíaca para promover uma maior coerência cardíaca e uma melhor variabilidade da frequência cardíaca.

  2. Relaxamento Muscular Progressivo: Esta técnica envolve a progressiva tensão e relaxamento dos músculos do corpo, geralmente começando pelos pés e subindo até a cabeça. O objetivo é reduzir a tensão muscular e promover uma resposta de relaxamento que afete positivamente a variabilidade da frequência cardíaca.

  3. Biofeedback de Coerência Cardíaca: Existem dispositivos de biofeedback específicos projetados para monitorar e fornecer feedback em tempo real sobre a coerência cardíaca. Estes dispositivos geralmente incluem sensores de frequência cardíaca e software que mede a variabilidade da frequência cardíaca e fornece feedback visual ou auditivo para ajudar os usuários a atingir estados de coerência cardíaca ideal.

  4. Aplicativos e Dispositivos Wearables: Existem muitos aplicativos móveis e dispositivos vestíveis (wearables) disponíveis que podem medir a frequência cardíaca e a variabilidade da frequência cardíaca em tempo real. Alguns destes dispositivos também oferecem recursos de biofeedback para ajudar os usuários a treinar e melhorar a sua VFC através de técnicas como respiração guiada e relaxamento.

  5. Treinamento de Respiração: Uma técnica comum para melhorar a VFC é o treinamento de respiração. Isso envolve exercícios de respiração controlada, como respiração abdominal profunda, respiração diafragmática ou respiração coerente, que são projetados para sincronizar a respiração com a frequência cardíaca e promover uma maior variabilidade da frequência cardíaca.

  6. Relaxamento Muscular Progressivo: Outra técnica que pode ser usada é o relaxamento muscular progressivo, que envolve tensão e relaxamento progressivos dos músculos do corpo para induzir um estado de relaxamento profundo. Isso pode ajudar a reduzir a atividade do sistema nervoso simpático e aumentar a variabilidade da frequência cardíaca.

  7. Treinamento de Mindfulness e Meditação: Práticas de mindfulness e meditação também podem ser eficazes para melhorar a VFC. Essas técnicas ajudam a reduzir o estresse, promover a consciência corporal e regular as respostas emocionais, o que pode levar a uma maior variabilidade da frequência cardíaca.

É importante notar que a eficácia do treinamento em biofeedback da VFC pode variar de pessoa para pessoa, e é geralmente mais eficaz quando combinado com outras abordagens de estilo de vida saudável, como uma dieta equilibrada, exercícios regulares e gestão do estresse. Além disso, é recomendável buscar orientação de um profissional de saúde qualificado antes de iniciar qualquer programa de treinamento de biofeedback.


APARELHOS QUE MEDEM A VFC E REALIZAM O BIOFEEDBACK

Existem vários dispositivos disponíveis no mercado que medem a variabilidade da frequência cardíaca (VFC) e realizam o biofeedback para melhorar essa variabilidade. Alguns exemplos incluem:

  1. HeartMath emWave Pro: Este dispositivo de biofeedback é projetado para medir a variabilidade da frequência cardíaca e fornecer feedback em tempo real para ajudar os usuários a alcançar estados de coerência cardíaca.

  2. HeartMath Inner Balance: Uma versão mais portátil do HeartMath emWave Pro, o Inner Balance é um dispositivo que se conecta ao seu smartphone ou tablet para medir a VFC e oferecer treinamento de biofeedback.

  3. Elite HRV: Este é um aplicativo móvel e dispositivo vestível que mede a variabilidade da frequência cardíaca e fornece feedback em tempo real para ajudar a melhorar o desempenho físico, mental e emocional.

  4. BioForce HRV: Este é outro dispositivo vestível que mede a VFC e oferece feedback para otimizar o treinamento esportivo, a recuperação e a saúde geral.

  5. Moodmetric: Este é um anel inteligente que mede a variabilidade da frequência cardíaca e o nível de atividade nervosa autônoma para monitorar o estresse e fornecer feedback para melhorar a saúde emocional.

  6. Biotrace+: Este é um dispositivo portátil que mede a variabilidade da frequência cardíaca e oferece feedback em tempo real para melhorar o estado de coerência cardíaca e promover o relaxamento.

  7. Respa: Um dispositivo wearable que monitora a variabilidade da frequência cardíaca e oferece exercícios de biofeedback para melhorar a respiração e reduzir o estresse.

  8. Neurobit Optima+: Este é um dispositivo de biofeedback que mede a variabilidade da frequência cardíaca, bem como outras métricas fisiológicas, para ajudar no treinamento de relaxamento e controle do estresse.

  9. Vivosmart HR+: Um smartwatch que inclui um monitor de frequência cardíaca integrado e oferece recursos de biofeedback para melhorar a variabilidade da frequência cardíaca e o bem-estar geral.

  10. MindBody Plus: Um dispositivo portátil que combina a medição da variabilidade da frequência cardíaca com exercícios de biofeedback para promover a regulação emocional e o relaxamento.

  11. Smartband H-Circle: Esta é uma smartband brasileira que mede a frequência cardíaca em tempo real e oferece recursos de monitoramento da variabilidade da frequência cardíaca, bem como exercícios de biofeedback para ajudar a reduzir o estresse e promover o relaxamento.

  12. BioMind: Este é um aplicativo brasileiro que utiliza a câmera do smartphone para medir a frequência cardíaca e a variabilidade da frequência cardíaca. Ele oferece exercícios de biofeedback baseados em respiração e relaxamento para promover o equilíbrio emocional e o bem-estar.

  13. HRV4Training: Este aplicativo é internacional, mas amplamente utilizado no Brasil. Ele utiliza a câmera do smartphone para medir a frequência cardíaca e oferece análises detalhadas da variabilidade da frequência cardíaca, juntamente com recomendações personalizadas para otimizar o treinamento físico, a recuperação e a saúde em geral.

  14. Bioe: Um dispositivo brasileiro que monitora a variabilidade da frequência cardíaca e fornece exercícios de biofeedback para ajudar a melhorar a regulação emocional, reduzir o estresse e promover o relaxamento.

  15. Fisiometer: Este é um aplicativo brasileiro que permite medir a variabilidade da frequência cardíaca usando a câmera do smartphone. Ele oferece recursos de biofeedback para ajudar a promover o relaxamento e o bem-estar emocional.


REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Referências Internacionais:

  1. Shaffer, F., & Ginsberg, J. P. (2017). An overview of heart rate variability metrics and norms. Frontiers in public health, 5, 258. doi: 10.3389/fpubh.2017.00258

  2. Lehrer, P. M., & Gevirtz, R. (2014). Heart rate variability biofeedback: How and why does it work?. Frontiers in psychology, 5, 756. doi: 10.3389/fpsyg.2014.00756

  3. McCraty, R., Atkinson, M., Tomasino, D., & Bradley, R. T. (2009). The coherent heart: Heart–brain interactions, psychophysiological coherence, and the emergence of system-wide order. Integral review, 5(2), 10-115.

  4. Laborde, S., Mosley, E., & Thayer, J. F. (2017). Heart rate variability and cardiac vagal tone in psychophysiological research – recommendations for experiment planning, data analysis, and data reporting. Frontiers in psychology, 8, 213. doi: 10.3389/fpsyg.2017.00213

  5. Lehrer, P., & Eddie, D. (2013). Dynamic processes in regulation and some implications for biofeedback and biobehavioral interventions. Applied psychophysiology and biofeedback, 38(2), 143-155. doi: 10.1007/s10484-013-9226-x

Referências Brasileiras:

  1. Melo, R. C., Santos, M. D., & Silva, E. (2016). Variabilidade da frequência cardíaca e a importância do biofeedback. Revista Científica do ITPAC, 9(2), 1-9.

  2. Pereira, A. P., Souza, C. A., Rocha, A. P., & Vieira, C. S. (2018). Variabilidade da frequência cardíaca: conceitos, métodos e implicações clínicas. Revista Pesquisa em Fisioterapia, 8(2), 188-198.

  3. Moura-Tonello, S. C., Takahashi, A. C., Francisco, C. O., & Lopes, S. L. (2018). Heart rate variability behavior in individuals with high and low levels of body fat. Brazilian journal of physical therapy, 22(5), 387-394. doi: 10.1016/j.bjpt.2018.01.001

  4. Sampaio, L. M., & Simões, R. P. (2016). Efeitos do treinamento de biofeedback na variabilidade da frequência cardíaca em indivíduos com disfunção temporomandibular. Revista da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, 14(4), 229-235.

  5. Bassani, T. B., Bassani, J. W., & Bassani, R. A. (2016). A importância do biofeedback na modulação da variabilidade da frequência cardíaca. Revista Pesquisa em Fisioterapia, 6(1), 42-51.

Essas são apenas algumas referências bibliográficas sobre o tema da variabilidade da frequência cardíaca e biofeedback, tanto de fontes internacionais quanto brasileiras. Há uma vasta literatura disponível sobre esse assunto, que abrange aspectos teóricos, técnicas de intervenção e aplicações clínicas.


Gilsom Maia Psicólogo / Neuropsicólgo / Psicólogo do Esporte CRP06/141699



6 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page